Início Notícias Caucaia tem o maior reajuste salarial dos professores da região metropolitana

Caucaia tem o maior reajuste salarial dos professores da região metropolitana


De acordo com levantamento realizado pela Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), observando os índices de reajustes conquistados pelos professores municipais junto às prefeituras da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), Caucaia é o município com o maior índice de reajuste na região. Após intensas atividades, paralisações e greve da categoria, os profissionais do magistério de Caucaia conquistaram 12,32% de reajuste linear, que inclui piso e demais níveis salariais.


 


Sendo assim, a cidade perfila como tendo um dos melhores pisos salariais da RMF, com uma remuneração inicial de R$ 1.629,00. Já o menor reajuste foi encontrado em São Gonçalo do Amarante, com apenas 5%. As informações foram colhidas junto aos sindicatos de servidores municipais. O estudo da Federação constata os seguintes números:


















Cidade – RMF


Índice de Reajuste


Aquiraz


8,00%


Beberibe


7,90%


Cascavel


7,97%


Caucaia


12,32%


Eusébio


6,80%


Fortaleza


7,97%


Guaiuba


8,00%


Horizonte


8,00%


Itaitinga


7,00% – base. Sendo ainda de 9,00% Graduado e pós-graduado de 11,00%. Todos receberam a ascensão funcional de 2,50%


Maracanaú


8,00%


Maranguape


8,00%


Pacajus


8,00%


Pacatuba


7,99%


Pindoretama


8,00%


São Gonçalo do Amarante


5,00% – Professores em sala de aula


 


Piso maior que o MEC


A remuneração base dos professores da cidade também é maior que o estipulado pelo Ministério da Educação. Hoje, Caucaia tem um piso 4% acima do valor indicado pelo Ministério, que é de R$ 1.567, estando também acima do piso estadual, que hoje é de R$ 1.613,56.


 


Vitórias históricas


Catarina Lima, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Caucaia (Sindsep) avalia que as conquistas não são pouca coisa, considerando que Caucaia, dentre as maiores cidades do Ceará, ficou à frente de Fortaleza e Maracanaú, os dois municípios de maior Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.


 


Além do piso salarial, a categoria conquistou diversos instrumentos que incidem na valorização dos servidores da educação, como a reposição de perdas salariais; conversão da licença-prêmio em pecúnia para professores readaptados; horário corrido para as turmas de tempo integral das creches; e convocação todos os professores aprovados em concurso no segundo semestre de 2013.


 


“O que possibilitou a melhoria para os professores foi muita luta, que partiu de uma decisão política do nosso Sindicato de fazer frente ao executivo municipal e efetivar direitos. Fixamos como nossa responsabilidade conduzir esta categoria às vitórias, que agora podemos comemorar. O sindicato de servidores e os professores de Caucaia estão no caminho certo”, avalia Catarina Lima.


 


Paralisação no dia 30 de agosto


Mas mesmo diante das vitórias, os trabalhadores do serviço púbico do município acreditam que é necessário avançar ainda mais. Por isso, o Sindsep convoca agenda nacional da greve geral da categoria, que será realizada no do dia 30 de agosto (sexta-feira), a partir das 9 horas, na Praça da Câmara de Caucaia. O tema central dos atos é a defesa do trabalho decente no serviço público municipal.


 


Pauta:


· Plano de carreira para os servidores de nível médio e fundamental;


· Equipamentos de proteção individual para os auxiliares de serviço gerais, merendeiras e demais servidores que necessitarem;


· Auxílio transporte e alimentação para todos os servidores;


· Reajuste para os servidores inativos;


· Ampliação do planejamento dos professores para 1/3 ;


· Implantação da seleção para diretores das escolas municipais;


· Transformação do risco de vida em insalubridade e ampliação dos percentuais;


· Implantação de produtividade para os servidores do CEO e UPA e correção da produtividade dos servidores de nível médio dos hospitais;


· Implantação das 30hs da saúde sem redução de salário;


· Insalubridade para todos os servidores dos hospitais;


· Fim do fator previdenciário;


· 10% do PIB para a educação;


· 10% do orçamento da União para a Saúde;


· Transporte público e de qualidade e mobilidade urbana;


· Valorização dos aposentados;


· Reforma agrária;


· Suspensão dos leilões de petróleo;


· Contra o PL 4330, sobre terceirização.


 


Outras informações:


Enedina Soares – 9172.6185