Início Notícias Sindsep cobra ao IPMC pagamento retroativo das progressões de 196 aposentados

Sindsep cobra ao IPMC pagamento retroativo das progressões de 196 aposentados

As progressões horizontais dos profissionais do magistério de Caucaia foram, finalmente, implementadas em outubro de 2020. O pagamento do montante retroativo foi parcelado e começou a ser repassado mensalmente aos servidores. A exceção é de 196 professores aposentados que tiveram o direito deferido, mas ainda não começaram a receber essas parcelas.

O Sindsep Caucaia esteve no Instituto de Previdência do Município de Caucaia – IPMC nesta quinta-feira (04/2) para cobrar providências. A reunião foi entre a diretora do sindicato Catalina Lima, a aposentada Maria de Jesus, a presidenta do IPMC Mirela Sousa e os assessores jurídicos do Sindsep e do IPMC, Pedro Cavalcante e Alexandre Moreira. 

“A presidenta Mirela informou que existe total disposição do IPMC em fazer o pagamento, afinal, se trata de um direito. No entanto, ela informou que o pagamento do retroativo não vai acontecer enquanto não houver o reconhecimento da dívida por parte da Secretaria de Educação-SME. Segundo Mirela, o instituto tem feito a cobrança via ofício para a SME, mas ainda não obteve resposta”, explicou Catarina Lima.

Segundo a dirigente, durante a reunião, a presidenta Mirela afirmou que o IPMC não pode efetuar o pagamento de valores que não tenha recebido. Para a presidenta, o primeiro passo deve ser dado pela Secretaria de Educação, reconhecendo a dívida e repassando os valores. Ela destacou ainda que precisa do respaldo da Procuradoria Geral do município.

“É uma problemática que envolve diversos órgãos municipais. Desta forma, encaminhamos o agendamento de uma reunião conjunta com participação do Sindsep Caucaia, das secretarias de Administração e Educação, do IPMC e da Procuradoria Geral do município. O sindicato vai acompanhar o processo para tentar resolver a situação”, destacou Catarina. 

 

Problema com Aposentadoria

Outra questão discutida na reunião foi a problemática dos servidores que não estão conseguindo aposentadoria. Faltam registros das contribuições previdenciárias referentes ao período de 1983 a 1988. Uma confusão gerada pela gestão municipal que tem atrasado o processo daqueles servidores que dependem dos registros para conseguir a aposentadoria. 

“Levamos essa questão para o IPMC para buscar uma solução. É de responsabilidade da gestão e o sindicato tem cobrado.A luta pelo respeito do servidor, que tanto contribui com esse município, passa pela direito da aposentadoria”, ressaltou Catarina.